Resultado de imagem para creed 2 banner

Adonis Creed (Michael B. Jordan) saiu mais forte do que nunca de sua luta contra ‘Pretty’ Ricky Conlan (Tony Bellew), e segue sua trajetória rumo ao campeonato mundial de boxe, contra toda a desconfiança que acompanha a sombra de seu pai e com o apoio de Rocky (Sylvester Stallone). Sua próxima luta não será tão simples, ele precisa enfrentar um adversário que possui uma forte ligação com o passado de sua família, o que torna tudo ainda mais complexo. [Sinopse]

Procurei das um distanciamento entre a cabine de imprensa deste filme e a confecção desta resenha, uma atitude quase sempre necessária, mas desta feita mais que obrigatória. Explico: Rocky é um ídolo para mim. Vi, revi, revi novamente umas 10x e verei (quase) todas as vezes que estiver passando num canal perdido de minha TV por assinatura. Curto a trilha sonora, corro com ela 4 vezes por semana, tenho um quadro de Rocky no meu escritório, o descanso de tela de meu iphone é uma foto de Rocky. Já chega né? Já sacaram que eu tenho dificuldades no distanciamento correto para se comentar uma obra cinematográfica. Vou me esforçar para me manter o mais isento possível, mas, juro, não prometo.

Procurei entrar no modo “bird box” e ir completamente ausente de informações para assistir a este filme, faz parte, digamos, de meu processo “criativo” quando envolve grandes lançamentos. O fato do filme ter sido lançado nos Estados Unidos em novembro/2018 dificultou ainda mais minha tarefa, mas acredito que cheguei ao filme devidamente “desinformado”. Deu certo. Vamos ao filme em si.

“Creed 2” é o oitavo filme da saga Rocky, o terceiro dele como treinador (lembram de Rocky 5?) e o segundo como spin-off Creed. Tem muitas semelhanças com Rocky 4 e algumas com Rocky 3, mas (novamente) nao é refilmagem, cópia ou coisa semelhante. Os atores (todos!) estão muito bem no papel, o filme tem cenas memoráveis, o encontro de Rocky e Drago, as próprias cenas de treinamento, as lutas extremamente realistas. Realmente o diretor do primeiro filme, Ryan Coogler, fez cenas memoráveis dentro panteão dos filmes de boxe de todos os tempos, algo absolutamente incrível, nos planos sequencias, takes tremidos, paleta de cores, mas o fato do diretor deste filme, Steven Caple Jr., não ser tão bom não é nenhum demérito, estamos falando de notas 9,5 ou 10. E, ainda mais, é bom lembrar que a saga Rocky nunca teve um diretor como esses dois, nem o próprio Stallone, e muito menos John G. Avildsen.

Não vi uma unica “grande” falha no filme, algo frouxo no roteiro, algo piegas, nadica de nada. Alias, é bom que seja dito, é uma franquia MUITO bem cuidada, com muito carinho, respeito, pela Warner Bros, pelo próprios Sylvester Stallone e Michael B. Jordan (produtores executivos), por Ryan Coogler (produtor), por Irwin Winkler e família (producao). Todos são responsáveis por este spin-off da franquia Rocky não ser apenas um caca-niqueis, uma copia, algo sem identidade, o que claramente não acontece.

O filme mantem a mistica do personagem, se consolida como uma das sagas (juntando as 2 franquias) mais longevas do cinema, com filmes distribuídos através de 5 décadas, prepara a passada de bastão para Adonis viver sem Rocky, numa sequencia que tem tudo para acontecer, ganchos, vontade dos protagonistas, potencial financeiro e, principalmente, hype por parte do seu publico. Nota 10.

https://

Share This
Leia o post anterior:
Como Treinar Seu Dragão 3

Soluço busca realizar seu grande sonho de encontrar um lar pacífico onde os dragões possam viver em segurança. Lá, Banguela...

Fechar