Estou lendo um livro que ganhei de presente da minha amiga Nana. Conta a história de uma mulher que trabalha em uma empresa que ajuda as pessoas a terminarem os seus relacionamentos. Não é um livro de auto-ajuda, é uma ficção norte-americana! Se fosse um filme, poderia ser classificado como uma comédia romântica, talvez. Depois desse blog, tenho lido alguns livros focados nas relações amorosas e sempre que descubro algo interessante e pertinente trago o assunto aqui, como é o caso de hoje.

Na história, a personagem principal cria uma lista das melhores desculpas para se dar o fora em alguém e eu vou transcrever aqui algumas delas:

Desculpa: Não é você, sou eu.

Tradução: É absolutamente, sem sombra de dúvida, cem por cento você.

 

Desculpa: É melhor sermos amigos.

Tradução: Só de pensar em fazer sexo com você fico com o estômago embrulhado.

 

Desculpa: Acho que devemos sair com outras pessoas.

Tradução: Já estou saindo com outras pessoas.

 

Desculpa: Eu não mereço você.

Tradução: Na verdade, eu mereço alguém muito melhor que você.

 

Desculpa: Em outra ocasião, poderia ter dado certo.

Tradução: Se você fosse bom de cama / mais rico / menos chato, poderia ter dado certo.

 

Desculpa: Eu pensei que você fosse a pessoa da minha vida; agora já não tenho tanta certeza.

Tradução: Você não era assim tão gordo quando começamos a namorar.

 

Desculpa: Estou voltando com o meu ex.

Tradução: Eu nem falo mais com o meu ex, mas prefiro morrer sozinho a passar mais um segundo com você

(trechos do livro “Sua grande chance” de Johanna Edwards – Editora Planeta)

Bom… acho que alguns já ouviram e já disseram algumas dessas desculpas, não é mesmo? Pode parecer engraçado ler estas frases nesse momento, mas quando é preciso recorrer à elas, é pelo fato de estar sendo difícil colocar um ponto final na relação. E é muito raro encontrar alguém que use a sinceridade perante uma outra pessoa que está quase implorando para que você não vá embora. Infelizmente, muitos acreditam que as desculpas irão amenizar a dor de uma verdade cruel.

Mas acredito que a verdade só será cruel, se não for bem colocada… se não houver “tato” e cuidado ao mostrá-la. É bem verdade que algumas pessoas não aceitam o “não”… querem revidar, questionar, confrontar… mas aí já não é um problema seu, o outro que precisa saber lidar com as recusas. A relação só é válida quando as duas partes tem interesse… no momento que um dos envolvidos não tem mais sentimento, não há regra ou lei que faça essa história dar certo.

Sobre as desculpas… são até engraçadas, mas ficam melhores lá nas páginas do livro. Na vida real, ninguém merece ser tratado com mentirinhas que tenham a finalidade apenas de deixar as coisas mais fáceis para quem termina. É bom lembrar que você está tratando com alguém que, apesar de não lhe interessar, está lhe dedicando os seus sentimentos mais nobres e verdadeiros.  

Cabe à você dizer a verdade e ao outro aceitar que nem sempre as coisas são como gostaríamos que elas fossem.

Pin It on Pinterest

Share This
Leia o post anterior:
Dois altos!

Peço licença às meninas, mas hoje vou liberar os meninos... A pedidos de alguns garotos que acompanham este blog, vou...

Fechar