De: Ela [ela.marketing@empresa.com.br]

Enviada em: Quarta-feira, 31 de julho de 2013 08:52

Para: Ele [ele.comercial@empresa.com.br]

Assunto: Eu obedeço…

 

Oi P…

O seu email me desconcentrou… e a cada lembrança, desconcentra ainda mais. Claro que eu estava torcendo para que você não concordasse com o pedido de nos afastarmos… eu não gosto de deixar as coisas pela metade, mas a forma controladora das suas palavras, causou um efeito avassalador nos meus sentimentos.

Sou sempre dona das minhas vontades… acostumada a decidir tudo e até sou admirada por isso, mas o que ninguém sabe é que eu não resisto quando sou dominada… quando SABEM como me dominar.

“Diz pra eu ficar muda, faz cara de mistério… tira essa bermuda, que eu quero você sério”

Você me deixou, completamente, louca… acho que nunca recebi  “ordens” tão excitantes.

“Solos de guitarra não vão me conquistar…”

Mas aviso que sou meio selvagem… acostumada a ser livre… então, mesmo em situações mais íntimas, também gosto de dar as cartas. Não vai ser tão fácil me manter sob controle.

“Eu quero você, como eu quero…”

Eu quero você de uma forma insana e inexplicável. Eu quero a sua boca, o seu cheiro, o seu corpo inteiro, a sua voz sussurrando no meu ouvido, os seus dentes na minha pele… eu quero te ver fechando os olhos e me implorando que continue a te enlouquecer… eu quero sentir você!

“Vou transformar o seu rascunho em arte final…”

Vou fazer você sentir arrepios que nunca sentiu e querer me retribuir cada um deles.

“Agora não tem jeito… cê tá numa cilada…”

Estou aqui na minha sala, usando a lingerie que você MANDOU… é linda! Mas uso apenas uma das peças… achei meio difícil vestir as duas sozinha, sabe? Espero que mais tarde, você tenha um tempinho livre para me ajudar a vestir o que falta… ou tirar tudo, talvez.

“É cada um por si, você por mim e mais nada…”

Já que você disse que conduzirá a nossa relação profissional, espero que se controle na reunião das 16h e não fique tentando adivinhar qual a peça que “não estou usando”. Confio no seu equilíbrio emocional 😉

“Longe do meu domínio, cê vai de mal a pior, vem que eu te ensino como ser bem melhor…”

Eu sei, exatamente, tudo o que quero fazer com você… todos os detalhes… eu sei como fazer você sorrir e gritar de prazer, eu sei que nós dois queremos… e eu sei que vai acontecer o que não terminamos naquele dia.

O jogo começou e eu mal posso esperar o final da primeira partida! Nessa disputa, eu não vou me importar em perder.

“Eu quero você… como eu quero… como eu quero!!!!!”

Estou aqui… esperando as próximas ordens!

Beijos,

L.

(Cada vez que pensava ou falava o nome dele, o corpo inteiro sentia… não tinha outra explicação, era desejo! O dia seria interminável… mal conseguiria esperar o momento de se entregar à ele)

Acompanhe aqui, como começou a história:

Desejo incontrolável

O jogo está apenas começando

 

Pin It on Pinterest

Share This
Leia o post anterior:
O que os homens dizem… nas entrelinhas

Nós mulheres, sempre somos acusadas pelos homens, de não expressarmos a nossa real vontade e eles precisarem ler as nossas...

Fechar