Amores impossíveis e imperfeitos… sim, eles estão por aí.

Nando Reis foi muito sensato quando disse que o mundo está ao contrário e ninguém reparou. Está mesmo!

Temos de um lado, as mulheres afirmando que os homens não querem nada sério, que só querem transar e sumir… que desconhecem a fidelidade.

E do outro lado, temos homens reclamando de mulheres volúveis, seletivas demais e que desconhecem a fidelidade.

Então vamos lá! Algo de muito estranho acontece no reino do amor.

Se os dois lados estão reclamando das mesmas coisas, há um ponto contraditório nessa questão. Alguém está usando esse discurso apenas para justificar a escolha de estar na bagaceira ou esse povo, realmente, não está se encontrando.

Repare que ninguém (ou quase ninguém) diz que está solteiro por opção… há sempre a velha emenda para dizer que não aparece uma pessoa interessante ou que está farto de gente machucando o seu coração.

Será que não existem opções mesmo ou há uma resistência em dar chance ao amor e a si mesmo? A menos que estes homens e mulheres que tanto reclamam, vivam em outro planeta, não há tanto impedimento assim para que eles se encontrem.

Obviamente, existem as brincadeiras que o destino faz, como encontrar alguém que se encaixaria perfeitamente com você, mas por uma série de fatores este alguém não ter a mesma vontade ou disponibilidade.

Alguém que um amigo conheceu no Tinder e você percebe que é, exatamente, o seu perfil, mas esta já é uma opção descartada, afinal amizade é amizade.

A mulher que você se apaixonou, mas que está apaixonada por outro.

A pessoa que você encontrou com todas as qualidades que sempre desejou, mas que de repente é muito mais nova, muito mais velha, mora muito longe ou tem objetivos distantes demais do seu.

Muitos dirão que quando o sentimento é verdadeiro, tudo é contornável! Não deixa de ser verdade, mas cada um sabe de si, sabe o que pode suportar e até onde pode ir.

O que vale a reflexão, é o fato de encontrarmos essas pessoas, que achamos ser o “nosso número”, nestas situações inusitadas. Para alguns já é fato recorrente e até dizem “não tenho sorte no amor, as pessoas que quero, nunca me querem”.

Será que não estamos deixando de olhar e perceber o simples, o que está ao lado e não no mundo da nossa imaginação? É bem verdade que o amor quando chega, não fica medindo dificuldade… mas é bem melhor quando não complicamos.

Você entra no perfil da rede social da pessoa, olha as fotos, o que ela posta, onde vai e com quem e, simplesmente, acredita que encontrou a sua alma gêmea… mas será que isso basta?

Quem vê avatar, não vê coração!

O mundo virtual é maravilhoso, mas ainda não existe nada melhor do que “conhecer” pessoas daquela forma antiga, clássica e próxima, mais conhecida como “olho no olho”.

Vejo uma série de pessoas por aí procurando tudo, menos o essencial… gente que visa muita coisa, menos o sentimento…. gente que só quer gente rica, gente que só quer gente linda, gente que quer exigir perfeição… gente que classifica requisitos nesta busca, mas que esquece que o principal é o amor. E ainda… gente que se esconde, se camufla e não se mostra como, verdadeiramente, é ao se aproximar do outro.

É melhor parar tudo e pensar se os desencontros são proporcionados pelo destino ou se somos nós que não estamos preparados para os encontros verdadeiros e sem padrões estabelecidos.

 

Pin It on Pinterest

Share This
Leia o post anterior:
Ele

Em meio a tantas coisas que me tomam tempo... trabalho, trânsito, problemas, projetos, prazos... ele é respiração! Mas por que...

Fechar