Considerações sobre o chifre

Ah… o chifre!

Sempre ali, pronto para nascer a qualquer momento… pesado, rejeitado, temido. Mas como dizem por aí, todo mundo um dia vai experimentar.

Até pouco tempo atrás, tomar chifre era motivo de pânico, tristeza, doses de whisky e música brega tocando… hoje se transformou em lugar comum.

Todo mundo já sabe que mais cedo ou mais tarde vai receber.

O grande filósofo Jorge Martins, por acaso amigo meu, figura impoluta que estudou a ciência do chifre nas universidades de Harvard, Oxford, Wisconsin annnd Winchester… sim, ele estuda muito, criou uma teoria interessantíssima e eu diria que nada complexa, sobre o crescimento dos chifres. Segundo ele, funciona assim (SIC):

“Quando você diz pra menina: ‘Olha, tá bom e tudo mais, mas eu quero namorar. Topa?’ e ela diz que sim, Deus presenteia a ambos com três grãozinhos de feijão, chumaço de algodão e um pote de Danoninho, vazio.

Aí pronto

Se você trata a menina bem, é bacana com ela, não trata com estupidez, nada acontece.

Mas se você fica impaciente e dá uma patada, ela coloca os grãozinhos de feijão dentro do potinho de danoninho.

A cada muxoxo que você faz porque a menina levou 15 minutos a mais se arrumando, ela dá outra regadinha no algodão aí um belo dia nasce um chifre.

Você, indignado, reclama: ‘Como pode isso? Esse chifre, assim, do nada’

Essa é a verdadeira moral da história: todo chifre é cultivado.”

Ou seja… segundo a teoria de Jorge, um chifre não nasce de uma hora para a outra… ele é germinado, regado e faz até fotossíntese até chegar à sua cabeça.

Mas eu vou além da teoria do meu amigo e digo que as coisas andam em um ritmo tão acelerado, que as pessoas devem receber também, junto com o kit, um saquinho de fertilizante para adubar a plantinha, afinal esses chifres estão crescendo rápido demais.

Bom, a grande realidade é que ser fiel já não é algo fácil… se é que já foi.

Tudo acontece muito rápido… o número de informações e pessoas que se cruzam (sem trocadilho) é muito grande. O que interessou agora, logo já perde o encanto…  então as relações vão se tornando cada vez mais instáveis.

Eu ainda acredito na fidelidade (pausa para vocês rirem!). Juro! Acredito mesmo… embora eu entenda que as coisas se encaminham para um lado onde a monogamia se tornará uma palavra fora do dicionário amoroso.

Não quero dizer com isso que acredito no amor eterno… Vinícius já foi impecável quando poetizou: “que não seja imortal, posto que é chama…”. Mas enquanto essa chama estiver acesa, acredito que duas pessoas possam se bastar… mesmo que essa chama seja muito rápida e se apague na primeira chuva.

O chifre sempre vai existir… dizem que no homem fica mais feio que na mulher, mas isso depende de quem usa e da importância que dá à ele.

Por hora, vamos nos acostumar com os nossos copinhos, algodões, sementinhas… e torcer para que o danado não cresça tão rápido.

 

Pagando promessa

Encrencada: Alô amiga! Tudo bem?

Amiga: Tudooo… feliz ano novo, miga. Como você está?

Encrencada: Aff… Péssima e encrencada!

Amiga: Ué… o que aconteceu?

Encrencada: Ai nem te conto… sabe o Carlinhos?

Amiga: O chato que fica pegando no seu pé e tem aquele papo insuportável?

Encrencada: Sim, o próprio. Combinei de sair com ele hoje.

Amiga: Ta louca? Eu sei que você está solteira há um tempão, mas aí já é desespero.

Encrencada: É eu sei… mas foi uma burrada que eu fiz.

Amiga: Como assim?

Encrencada: Um dia ele insistiu tanto que prometi que se o mundo não acabasse, eu sairia com ele.

Amiga: PQP! Que promessa ridícula! É claro que o mundo não ia acabar, sua louca!

Encrencada: Ah eu acreditei, amiga… era tanta gente falando no facebook… achei que iria acabar mesmo e que eu me livraria do mala do Carlinhos.

Amiga: Sim… e agora? O que você vai fazer? Vai beijar e transar com aquela coisa?

Encrencada: Então… estou te ligando para ver se você tem alguma idéia que me livre dessa aposta.

Amiga: Só me faltava essa! Você faz suas loucuras e eu que tenho que resolver?

Encrencada: Por favoooor, amiga! Você é muito criativa inventa alguma coisa.

Amiga: Bom… então diga à ele que na ameaça do mundo acabar, você rezou prometendo que se tudo ficasse como está, entraria num convento, se tornaria uma freira e abandonaria de vez os homens e o sexo… que você prometeu nunca mais encostar em um homem, que jamais voltará a tocar em um pênis, que vai abrir mão de todas as carícias no seu corpo e que o seu tesão será abafado com banhos gelados e chocolates. E aí? O que acha?

Encrencada: Nossa! Precisava pegar tão pesado? Perto dessa hipótese o Carlinhos agora não me parece tão mau… ele ficou até interessante…

Amiga: Então saia com ele e agüente as conseqüências.

Encrencada: Quer saber? Vou sair mesmo… imagina se eu ia prometer nunca mais chegar perto de um pênis… eu, hein!

 

Moral da história: por mais que a situação seja ruim, algumas coisas poderiam ser bem piores.

Atenção cupido: mantenha distância!

Tenho estado muito atenta!

Acesa como uma vela que não apaga a chama nunca.

Fico ligada em tudo o que está a minha volta e não deixo passar sequer um detalhe.

Sou uma eterna e incansável vigilante…

Tudo isso porque dizem que para se apaixonar é preciso estar distraída, desligada, desatenta e então… o cupido atira a sua flecha e no mesmo momento você está contaminado por uma paixão sem precedentes.

Por isso, não quero me distrair… preciso me distanciar desse cupido sem noção.

Estou de férias do amor, a quem interessar possa.

Chega de coração disparando, noites em claro olhando estrelas, aquele rubor nas faces que estraga qualquer maquiagem, o cartão de crédito estourando com lojas de lingerie, garrafas de vinho e viagens…

E aquele sorriso bôbo no rosto durante o dia inteiro? Aff! Ô coisa que cansa!

Nada de acordar já sorrindo… onde fica o respeito ao meu mau humor matinal?

Estou me afastando desses sentimentos que afetam a minha respiração e o meu senso do ridículo.

Cansei dessa palhaçada: olha-beija-se apaixona-fica feliz-se separa-fica triste-chora… e depois recomeça tudo de novo.

Quem quiser que continue… eu tô fora!

Portanto, Sr.Cupido, mantenha uma distância segura de mim, estamos entendidos?

É isso aí…

Só espero que você não seja tão estúpido a ponto de acreditar em todas essas besteiras que acabo de dizer… estou usando a psicologia reversa, sacou? Não, né? Você é meio lento mesmo.

Enfim… se apresse e acerte essa flecha no lugar certo, querido!

Meu coração está vazio e pronto para amar alguém que queira esse amor.

Agiliza!!!

 

A solteira e o anúncio

Atendente: Boa tarde senhora, bem-vinda aos classificados do nosso jornal.

Solteira: Boa tarde, eu gostaria de publicar um anúncio, com uma certa urgência.

Atendente: Pois não! Pode falar o texto.

Solteira: “Procuro homem solteiro, alto, bonito, sexy e inteligente para passar o reveillon. Tel: 0000-0000”

Atendente: Senhora, ainda estamos em agosto, não seria melhor publicar em dezembro?

Solteira: Claro que não, minha filha! Em que mundo você vive? Não tá fácil pra ninguém. Publica logo isso aí.

Atendente: Pois não! O anúncio estará saindo amanhã!

Um mês depois…

Atendente: Classificados, boa tarde!

Solteira: Querida, eu gostaria de alterar o anúncio que publiquei no mês passado, pois até agora ninguém ligou.

Atendente: Pois não, senhora! Qual seria a alteração?

Solteira: Retire a palavra “inteligente”, acho que é ela que está dificultando a negociação.

Atendente: Ok! Mais alguma coisa?

Solteira: Humm… tire também o “alto” e o “bonito”… fica muito exigente, né?

Atendente: Retirado! Posso publicar ou mais alguma alteração?

Solteira: Não… acho que basta. Como ficou o texto agora?

Atendente: “Procuro homem solteiro e sexy para passar o reveillon. Tel: 0000-0000”.

Solteira: Tá ótimo! Pode publicar.

Dois meses depois…

Atendente: Classificados, boa tarde!

Solteira: Querida, tem algum problema com esse jornal de vocês? Que serviço péssimo! Coloquei um anúncio aí há um tempão e ninguém me liga. Que absurdo!

Atendente: Senhora, não há nenhum problema com os nossos serviços. Talvez o seu anúncio não esteja funcionando.

Solteira: É né? Acho que fui muito exigente na descrição… bom, vamos mudar então!

Atendente: Tudo bem, mas a senhora só tem mais essa chance para mudar… da próxima vez, será cobrado como um novo anúncio.

Solteira: Tá, tá, tá… não tô preocupada com essa casquinhagem não, minha filha… eu quero é um homem.

Atendente: Entendo. Pode dizer como quer alterar o anúncio.

Solteira: Deixe-me ver… hã… retire o “sexy”… hummm… retire o “solteiro” também, pois assim abro mais algumas possibilidades.

Atendente: Então o anúncio fica assim:  “Procuro homem para passar o reveillon. Tel: 0000-0000”. Confere, senhora?

Solteira: É… acho que sim! Não!!! Espere! Tem uma coisa que não abro mão… coloque aí… “homem com dentes”!! Banguelo eu não aceito.

Atendente: Tudo bem! Vou estar inserindo essa informação e…

Solteira: Espera!!! Pensando melhor, vou reformular o anúncio… publique assim: “Procuro um homem para passar o reveillon. Pago dentadura! Tel: 0000-0000.

Atendente: Ok! Anúncio Publicado. Mais alguma coisa?

Solteira: Sim… que alguém me ligue ou então vou detonar esse jornaleco no meu facebook! Hunf!

Atendente: Aham… O jornal agradece a sua preferência e tenha uma boa tarde!

 

A Cinderela tem Facebook

Prezada Cinderela,

Venho através desse mal traçado inbox, lhe dizer que alguns dos meus conselheiros, andaram curtindo algumas das suas atualizações aqui no facebook, e quase os destituí do cargo.

Quando você publicou, na última tarde, a frase:

“Ex bom, é Ex corno”

Senti que poderia ser uma afronta a minha pessoa, então não achei de bom tom os meus escudeiros, mosqueteiros e guardiões curtirem esta palhaçada. #prapensar

Por outro lado, corre em boca miúda lá pelas tavernas da corte que as fotos que você vem publicando em bailes, saraus e festa da uva, são apenas para me cutucar, para me mostrar que está bem e feliz.

A propósito, aquela sua foto nos jardins do palácio, onde o seu decote está bastante evidente, me deixou com muita vontade de reviver algumas coisas. #ficadica

Pelo que venho observando, além das suas postagens românticas e indiretas de que sente saudades de um tempo bom, o seu status continua sem “relacionamento sério” com ninguém.

O que não me resta dúvida de que o seu coração ainda me pertence! #comofaz?

Minhas respeitáveis e sinceras recomendações!

Príncipe Encantado

……………………………………………………………………………………………………..

Prezado Príncipe Encantado

Vejo que Vossa Alteza anda com pouca coisa para fazer, pois ao invés de estar cuidando do caos que se encontra o Reino, passa o dia inteiro no Facebook bisbilhotando a vida alheia. #fail

O que escrevo, as fotos que publico ou até as indiretas que mando, nada tem relação com a sua pessoa, afinal só lembro que Vossa Alteza existe quando passo de carruagem pelas ruelas na corte e ouço algum plebeu xingando vossa mãe, a rainha. #vergonhaalheia

Para falar a verdade, desde a última vez que Vossa Alteza viajou acompanhado para o Reino de Tão Distante e começou a publicar aquelas fotos da sua mulher, que diga-se de passagem é tão sem graça como água de salsicha, dei um block no seu perfil e então nem vejo mais as suas publicações. Não fiz isso por ciúmes, mas por achar que a página do meu face ficava muito cafona com a foto de vocês. #prontofalei

Sendo assim, este é mais um motivo para que eu nem lembre da sua existência.

Quanto ao que escrevo, não que eu lhe deva alguma satisfação, mas sempre fui uma mulher muito romântica e gosto de poemas… sobre a saudade de um tempo bom, é de uma época que não lhe diz respeito… uma época bem anterior àquela que perdi o maldito sapato na escadaria do palácio e Vossa Alteza encontrou… desse episódio infeliz, nem me lembro mais, muito menos sinto saudades.

As minhas fotos são lindas mesmo, principalmente porque estou feliz em todas elas, coisa que não era quando estávamos juntos… e sobre o meu decote, não tenho dúvidas de que lhe deixa hipnotizado e causa um efeito devastador nos seus hormônios… isso não é nenhuma novidade. #eujásabia

Achar que o meu coração ainda lhe pertence, é uma ilusão que nem o bôbo da corte teria, só mesmo o seu pensamento egocêntrico para concluir uma asneira dessa.

O meu status está sem nenhuma indicação, pois o meu coração está livre como um passarinho… já os meus beijos e carinhos dedico à quem bem entender. Me esqueça, Príncipe e vai cuidar da sua Ogra… digo, da sua esposa.

Peço licença à Vossa Alteza para encerrar o inbox agora, pois a mucama está aqui esperando para cachear os meus cabelos… tenho um encontro com o Príncipe Armando Pinto Souto Maior, hoje no fim da tarde. #partiu

Recomendações à sua Senhora!

Cinderela

Eu sou ET

Olá, bom dia!

Bom dia… em que posso ajuda-la?

Bem… é… na verdade eu soube que aqui vocês estudam a probabilidade da existência de seres de outro planeta… é isso mesmo?

Sim, sim… somos uma equipe de cientistas trabalhando nesse projeto, mas ainda não temos nenhum dado concreto. Mas o que lhe trouxe aqui?

É que eu conheço um ser de outro planeta e vim aqui contar para vocês.

Minha senhora… veja bem… nós somos cientistas sérios e não aceitamos brincadeirinhas ou qualquer tipo de alarme falso.

Não se preocupe! Essa informação é séria… jamais brincaria com isso e posso provar… o ET sou eu!

Perdão, a senhora pode repetir…

Sim… eu sou ET!!!

Aham… Ok, mas o que a levou a tirar essa conclusão, senhora? Precisamos de algum relato contundente.

Claro! Eu já imaginava e estou aqui para esclarecer todas as suas dúvidas…

Então sente-se e me explique com detalhes…

Olha só… até alguns meses atrás eu não sabia que era ET… só depois é que eu vim perceber isso.

Sei… mas seja mais clara, por favor!

Bom, eu tenho 30 anos… sei cozinhar, administrar uma casa, tenho 3 faculdades, sou independente, faço progressiva, tenho sempre a depilação em dia, tomo remédios para controlar os hormônios e ter uma TPM inofensiva, gosto de futebol e não me incomodo com namorados que saem com os amigos, não tenho ciúme doentio… apenas aquele “básico”que os apaixonados sentem… minha mãe é uma excelente sogra e eu nem tenho irmãos que possam vir a ser cunhados chatos e inconvenientes.

Desculpe, mas não estou entendendo o que a faz pensar que é um ser de outro planeta.

Pois é, minha filha… eu também não entendia… mas essa foi a única resposta que achei para ainda estar solteira com todas essas qualidades.

Só um ET como eu, ainda não se acostumou a conviver com certos seres masculinos…

Querem comer todas ao mesmo tempo.

Não ligam no dia seguinte.

Traem mesmo se a relação estiver boa.

Terminam namoro ou casamento com a mesma facilidade que terminam de lavar o carro.

Depois de todas essas ponderações e de perceber que eu nunca vou me adaptar á esse tipo de vida, cheguei a conclusão de que eu só posso ser um ET!!!

Por favor, chame a nave mãe que eu quero voltar para casa.

Pin It on Pinterest