No ano passado recebemos a monografia da administradora Mônica Segato, cujo título é: “O Papel da Motivação na Atividade Profissional”. Achamos oportuno mencionar alguns aspectos relevantes que ela pesquisou sobre esse empolgante tema.

Shari Caudron (1997), consultora de Recursos Humanos, no artigo “O que motiva os empregados” da Revista Management, enumera as melhores técnicas de motivação, recomendadas por vários especialistas no assunto. Confira:

01) Dar ao empregado as informações necessárias para a realização de um bom trabalho.
02) Dar feedback regular aos funcionários.
03) Solicitar idéias aos empregados e envolvê-los em decisões sobre suas funções.
04) Criar canais de comunicação fáceis de usar.
05) Aprender com os próprios funcionários sobre aquilo que os motiva.
06) Aprender quais as atividades desenvolvidas pelos empregados quando dispõem de algum tempo livre.
07) Cumprimentar pessoalmente o funcionário por um trabalho bem feito.
08) Reconhecer o poder de sua presença física, em sua posição de gerente.
09) Enviar uma mensagem escrita ao empregado, elogiando seu desempenho.
10) Reconhecer publicamente um trabalho bem feito.
11) Promover reuniões destinadas a comemorar o sucesso do grupo.
12) Dar ao empregado uma tarefa interessante para executar.
13) Verificar se o empregado dispõe das ferramentas para realizar o melhor trabalho.
14) Reconhecer as necessidades pessoais dos funcionários.
15) Usar o desempenho como base para a promoção.
16) Adotar uma política abrangente de promoção dos funcionários.
17) Enfatizar o compromisso da empresa com a manutenção do emprego a longo prazo.
18) Estimular o sentido de comunidade.
19) Remunerar as pessoas de forma competitiva, em função de que elas valem.
20) Dar aos funcionários uma razão financeira para serem excelentes. Isso pode incluir participação nos lucros, conclui a consultora Shari Caudron.

Conforme já mencionado em alguns artigos publicados neste Blog, somos seres humanos complexos e os fatores motivadores e desmotivadores diferem de pessoa para pessoa. Relacionamos algumas perguntas e sugerimos que você faça a si próprio, buscando as respostas através da sua mente e do seu coração:

– Qual a sua história de vida?
– Em que você acredita?
– Quais as suas metas pessoais e profissionais?
– Quais os fatores que mais contribuem para a sua motivação?
– Quais os “motivos” que mais afetam a sua autoestima e provoca desmotivação?
– Como você lida com as frustrações?

Vá em frente e sucesso!

Share This
Leia o post anterior:
Simm: 15 vagas efetivas para carpinteiro

A Secretaria Municipal do Trabalho, Assistência Social e Direitos do Cidadão (Setad), através do Serviço Municipal de Intermediação de Mão-de-obra...

Fechar