O engenheiro e empresário Henrique Lanat era um dos mais animados foliões do Carnaval baiano na década de 20. Sempre surpreendia com os seus carros alegóricos, decoração de grande impacto, como o do conversível da foto que participa do corso e desfilava com orgulho, a família a bordo, pela Rua Chile, Praça Castro Alves e Rua Carlos Gomes.

Naquele Carnaval o empresário exibiu um relógio enorme que funcionava e marcava a hora no seu quadruplo mostrador; o coche enfeitado com listras, inclusive nas rodas, num apuro estético de muita qualidade para a época. Lanat tinha grandes conhecimentos de mecánica e passava meses preparando seus automóveis para a festa de Momo. Era proprietário da Natal Automóveis importadora de veículos e peças de reposição. Seus carros eram os melhores, mas dividia as atenções com os de Rafael Avena, também caprichados na ornamentação.

José Henrique Lanat foi o primeiro proprietário de um automóvel na Bahia, um Clément Panhard, fabricado na França, modelo 1899, que aportou em Salvador em 1901. E  segundo os especialistas no assunto, foi o quarto carro a entrar no país e hoje o mais antigo existente. Pode ser visto pelos interessados no Museu da Santa Casa da Misericórdia. Uma foto para a capa da revista Quatro Rodas da Editora Abril, em 1962, mostra o veículo, pilotado pela Miss Bahia e Miss Brasil Maria Olivia Rebouças Cavalcanti, em frente à casa do tapeceiro e artista plástico Genaro de Carvalho.

Pin It on Pinterest

Share This
Leia o post anterior:
O dia em que o Zepellin chegou a Salvador

Em 24 de maio de 1930, às 8:00 horas da manhã, conforme anunciara a imprensa, o Graf Zepellin sobrevoou o...

Fechar