O Esporte Clube Vitória nasceu com uma semana de atraso. Em 13 de maio de 1899 e não 7 de maio, conforme previsto. Nessa data a chuva impediu o comparecimento de todos os convidados à casa de Artemio Castro Valente, morador da Estrada da Victoria, 84. A sua família era proprietária de uma fábrica de gasosas, e ele Artémio (foto) o grande entusiasta de montar um time de cricket na Bahia.

Chegou a ser cogitado o nome de Clube de Cricket Baiano, mas prevaleceu a opinião de Artemio e ficou Clube de Cricket Vitória, dizem que em homenagem a seus fundadores, residentes no Corredor da Vitória. É possível, mas prefiro acreditar em outra hipótese, baseada em pesquisa por mim realizada no Livro do Cadastro do Contribuinte da Secretaria da Fazenda de Salvador de 1899. De fato, alguns dos fundadores do Vitória residiam na rua do mesmo nome, mas a maioria eram moradores da Graça, Aflitos, Garcia, Areia, Federação.

Minha opinião é de que o nome Vitoria é referente à freguezia da Vitoria e não à rua, considerando que todos os endereços acima faziam parte dela. Ponderações aparte, a nova agremiação esportiva deveria usar as cores verde e amarelo do Brasil, assim foi sugerido, porém, após sugestão de Juvenal Teixeira, prevaleceu o preto e branco, por que era mais fácil de comprar. É o que contam.

Mas, acho que prevaleceu, em termos, pois em 1905, conforme a convocação aqui reproduzida, as cores da camisa eram verde e amarelo, mesmo. Fotos da época revelam tonalidades diferentes de camisa, ou seja, não se tinha uma cor padrão preponderante. Usava-se, inclusive as cores rubro-negras em homenagem ao Clube de Regatas do Flamengo.

O futebol começou a ser praticado pelo Vitória em julho de 1904, no Campo dos Mártires, hoje Campo da Pólvora, num “match” contra o onze inglês:O Internacional que venceu a partida por 2×0. O Clube já se chamava de Sport Club Victoria, não tinha mais a denominação de cricket, e contava com estatutos, impressos na Tipografia Almeida:”A Bandeira do Clube será composta de 4 listras pretas e 4 vermelhas, alternadamente, tendo no ângulo superior esquerdo um quadrado preto com o monograma vermelho. já a flámula composta de duas listras vermelhas, entre duas pretas” descrevia o art 52.

Os jogadores eram convocados através de um convite como o aqui reproduzido, cópia do original do acervo do saudoso Zezé Catharino; são também cópias de seu acervo as fotos dos Estatutos e do time em 1907, aqui postadas. Convites entregues em mãos na residência dos jogadores. Outros tempos.

A imprensa destacava em pequenas notas os jogos de futebol: “Foot-ball- Os Clubs Victoria e Internacional promovem, para domingo próximo, no Campo dos Mártires, um grande match, havendo música e lugares reservados para as famílias” assim noticiava o Jornal de Noticias em sua edição de 07/04/1905. Era o primeiro jogo oficial, de fato, segundo confirma esta outra nota publicada no mesmo jornal em 08/04/1905: “A liga Bahiana de Sport Terrestres acaba de estabelecer um campeonato de Foot Ball, cujo primeiro torneio, conforme dissemos, se realizará amanhã, às 4 horas da tarde… No campeonato que acaba de ser criado, serão jogadas 20 partidas, sendo 3 em abril, 4 em maio, 2 em junho, 3 em julho, 5 em agosto e 3 em setembro”.

O Vitória perdeu essa partida por 3×1, gols de Steward e Hayne pelos ingleses e Juvenal Tarquínio pelo clube. No embate seguinte goleou o Baiano por 4×0. Campeonato curto, de vinte jogos apenas, em seis meses, que se justificava pois em Salvador tinha sido constituidas somente quatro agremiações: Internacional, Vitíória, Baiano e São Salvador. O Vitória conquistava o seu primeiro título do Campeonato Baiano em 1908, mas antes conquistava o título da segunda divisão, em 1907, com o time da foto aqui postada. Outras histórias que ficam para outra oportunidade.

Pin It on Pinterest

Share This
Leia o post anterior:
O primeiro jornal espírita do Brasil nasceu na Bahia

Em julho de 1869 Luiz Olímpio Telles de Menezes lançava o primeiro jornal espírita do Brasil: O Echo D'Além-Túmulo. Periódico impresso na Tipografia...

Fechar