Tudo começou com a terraplanagem do terreno que ficava próximo ao depósito de lixo da cidade, doado ao Esporte Clube Vitória, pela Prefeitura de Salvador, na administração de Clériston Andrade em meados da década de 70. Repetia-se a história da Fonte Nova também construída no entorno do monturo do Dique onde se aglomerava o lixo, lá nos idos de 1950. Não seria inverdade dizer que o futebol baiano cresceu em volta do que a cidade jogava fora.

A terraplanagem do terreno doado ao rubro negro só ocorreu a partir de 1985, quando o governo João Durval viabilizou recursos para a construção do Estádio, inaugurado no ano seguinte. A foto que ilustra este post mostra os tratores em ação. E foi esse gesto de torcedor, de certo modo incompatível com o de administrador do Estado, que determinou o nome, quando o Governador decidiu homenagear o seu sogro Manoel Barradas. O povo logo denominou de Barradão e assim ficou.

A inauguração foi em 11 de novembro de 1986 com o jogo Vitória X Santos que ficou no empate de 1 X 1 , primeiro gol marcado pelo visitante com um chute certeiro do baiano Dino que então era atacante do time da Vila Belmiro como contou Léo Batista no Baú do Esporte da TV Globo. Mas cinco anos seriam necessários para que o rubro negro de fato assumisse sua casa, jogando todos os jogos como mandante no Estádio Manoel Barradas.

Pin It on Pinterest

Share This
Leia o post anterior:
As comemorações de meio século de culto da Mãe Menininha

Em 18 de fevereiro de 1972 Maria Escolástica da Conceição Nazaré, então a mais famosa Iyálorixá do Brasil, comemorou os...

Fechar