Rubens em foto do acervo da família publicada pelo UOL Noticias

Rubens em foto do acervo da família publicada pelo UOL Noticias

O jornalista Lucas Froes contou esta semana à BBC News Brasil___ recomendo a leitura___ em magnífica reportagem reproduzida no Uol Notícias, “a incrível história do adolescente baiano que pedalou de Salvador a Nova York 90 anos atrás”. O nome do personagem é Rubens Pinheiro da Costa, por mais de dois anos enfrentou estradas poeirentas e de barro, trilhas alternativas na selva amazônica, Igarapés e rios e toda sorte de pedras no caminho até cumprir o seu objetivo e ser recebido com honras no Brooklin, um banquete servido pelos brasileiros residentes e, após, uma recepção no consulado.

De volta ao Brasil o adolescente tentou reconhecimento, obteve, ao contrário, uma reprimenda do presidente Washington Luís: “O Brasil mandou você fazer alguma coisa?”. Tinha percorrido mais de 18 mil quilômetros e visitado mais de 800 cidades, em cada município obteve das autoridades documentação de sua passagem, de modo a provar a sua façanha, nada disso sensibilizou o chefe da nação.

O que a BBC News não contou e vou contar agora é outra façanha do intrépido jovem que ainda moleque se sentiu atraído por aventuras e daí a sua motivação para entrar no então badalado e reconhecido grupo de escoteiros, os famosos Scouts, detalhes de sua viagem a pé da Bahia até a capital do país quando tinha apenas 16 anos, um calça curta no sentido literal da palavra.

Em 13 de abril de 1926, vestido a rigor com a farda de escoteiro, o jovem iniciou a sua caminhada de mais de 1.900 quilômetros, levava uma mochila com 22 quilos de peso, para não se perder seguiu os fios do telégrafo nacional. Era um rapazote franzino, 54 quilos e 1.43 metros de altura, calçava botas de número 37. Na mochila levava, além dos pertences, alguns medicamentos para distribuição aos pobres, a sua forma de cumprir os mandamentos do Scout. Em cada parada visitava as farmácias e solicitava doações.

Transcorridos exatos quatro meses e quinze dias Rubens chegou na capital e sem perda de tempo visitou a redação de o Correio da Manhã e de O Paiz, este, assim descreveu a sua presença: É um forte adolescente de fisionomia simpática, moreno claro, de exposição clara e precisa, destemeroso…”. No dia seguinte, acompanhado do Presidente dos Escoteiros do Mar, bateu na porta do Ministério da Justiça, obteve audiência do ministro a quem apresentou um detalhado relatório dos fios danificados do telégrafo no seu itinerário percorrido. Foi muito elogiado pela iniciativa. A chefatura de Polícia providenciou para o garoto um dormitório no quartel.

O Correio da Manhã contou que o baiano tinha percorrido 88 municípios e elogiou a sua aventura solidária com os pobres: “Mesmo sem apoio oficial… foi um excelente serviço sanitário rural que o jovem patrício prestou aos habitantes do interior, por isso, que, segundo verificamos em um livro que nos apresentou, muitas foram as contribuições que generosamente recebeu… em medicamentos para febre, gripe, etc, que ele distribuiu aos necessitados… O seu ideal é fazer parte desta formidável associação internacional (os Scouts) que possui mais de 300 mil membros”.

De volta a Salvador o garoto adquiria uma bicicleta, já planejando a sua aventura de pedalar até Nova Iorque. E assim em 15 de março de 1927, em frente ao Diário de Notícias, sob os aplausos de uma centena de ciclistas Rubens Pinheiro da Costa partia rumo à maior cidade do ocidente. Um baiano de fibra e de valor.

Pin It on Pinterest

Share This
Leia o post anterior:
A Procissão dos Fogaréus e o sinistro Gato da Misericórdia no auto de rua do século XIX

Durante mais de dois séculos e meio Salvador realizou a Procissão dos Fogaréus, uma espetaculosa encenação de rua___ auto teatral___...

Fechar