“Quem comanda a narração não é a voz: é o ouvido.”
Ítalo Calvino. In: As Cidades Invisíveis

www.arquivo.geledes.org.br

1) Enredo
É a estrutura narrativa, isto é, o desenrolar dos acontecimentos. Pode ser dividido em:

– exposição: apresentação das personagens e localizações de tempo e espaço.

– complicação: envolvimento das personagens, trama que gera conflito e tensão.

– clímax: o momento de maior tensão dramática, o conflito atinge um ápice.

– desfecho: consequências geradas depois da ocorrência do conflito.

Atenção: É importante lembrar que fatos sempre ocorrem numa sequência: começo, meio, fim. No entanto, o escritor pode alterar essa ordem, começando a contar pelo meio ou pelo fim, dependendo do efeito que pretende alcançar.

2) Narrador
É aquele que conta a história. Pode ser Narrador-personagem ou Narrador-observador.

3) Foco Narrativo
– narrador-observador: situado fora do enredo, o narrador dispõe de todas as informações sobre os personagens: do passado e do futuro, das suas emoções e dos seus pensamentos, daí ser chamado de onisciente. A narração é feita em terceira pessoa.

– narrador-personagem: dentro da narrativa, o narrador pode adotar o ponto de vista de um ou mais personagens. A narração é feita na primeira pessoa.

4) Personagens
– protagonista: é o personagem principal da história.

– antagonista: opõe-se aos interesses da personagem principal.

– secundários: participam dos fatos, mas não constituem o centro dos interesses.

– redondo: personagem de alma e pensamentos bastante complexos.

– caricatural: possui traços de personalidade ou padrões de comportamento extremamente acentuados, às vezes beirando o ridículo.

5) Tempo
– cronológico: os fatos são narrados na ordem em que aconteceram. A sucessão das horas, dias, meses, anos é apresentada, na narrativa, de acordo com o tempo físico ou natural.

– psicológico: há quebras na ordem cronológica dos fatos. Ora antecipa-se algum fato, ora recua-se no tempo e volta-se ao passado. A narrativa tem um fluxo intimamente ligado ao mundo interior do personagem, a seus conflitos, gerações, reflexões, recordações etc.

Atenção: Pode não haver tempo definido na narrativa.

6) Espaço
É o ambiente, o cenário por onde circulam personagens e se desenrola o enredo. O ambiente pode ser analisado em seus aspectos físicos como em seus aspectos sociais, políticos, econômicos etc. Em muitas narrativas, analisa-se a influência do ambiente – quer físico, quer social – nos personagens, às vezes, tamanha a importância na narrativa que chega a ser um personagem.

7) Conflito
É o momento de tensão da narrativa que irá gerar o enredo da história.

8) Clímax
É o momento de tensão máxima da história, o momento decisivo. Há narrativas contemporâneas em que o clímax fica diluído, sendo difícil localizá-lo com precisão.

Abraços Fraternos,

Paulo Jorge

Share This
Leia o post anterior:
Um verso imortal!

Luiz Costa Pereira Junior, editor da revista Língua Portuguesa, conta, na edição de dezembro do ano que findou, a origem...

Fechar