Leitoras e Leitores,

O tempo é nosso ativo mais precioso, mas sobre ele recai um grande problema: o tempo não é renovável.

Esperamos chegar a segunda-feira, o dia 1o. do mês, ou um novo ano para iniciarmos um projeto pessoal, profissional… de vida. E aí resolvemos pisar no acelerador para chegar mais cedo em casa e… perdemos todo o tempo que poderíamos ter pela frente por um ato de imprudência.

E é essa fluidez e esgotamento do tempo que nos faz viver de forma tão ambígua: viver correndo ou correr para viver?

Foto: acervo pessoal.

Foto: acervo pessoal.

Uso a metáfora da corrida, por que a todo instante as expressões “vida corrida” e “maratona” viram sinônimo de muito trabalho, falta de tempo, um trabalho extenuante ou uma agenda repleta de compromissos.

O que as pessoas precisam entender é que a maratona, para nós amadores, é uma prova contemplativa. Curtimos os treinos e cada quilômetro da corrida. Parece, por vezes, que o tempo congela, pois ansiamos por cruzar a linha de chegada depois de correr 42km.

Corra para viver, para viver melhor, com mais saúde e, por que não, mais alegria.

Mas viver para correr… acho que faz pouco sentido. Nossa vida é curta. Sim, pessoal, passa rápido mesmo! E se fizer tudo correndo, não vivenciará, não experimentará de forma prazerosa e, no fim de seus dias, pensará: corri tanto e não vivi nada… o tempo se foi.

No livro Senhor dos Anéis, de JR Tolkien, a personagem Gandalf fala: “Tudo o que temos de decidir é o que fazer com o tempo que nos é dado”. E é exatamente isso! Aproveite seu tempo! Saiba dosar trabalho, família, lazer, viagem, atividade física… dá para encaixar tudo!

Pensem nisso!

Cartão de visita-02

 

 

 

 

 

 

Pin It on Pinterest

Share This
Leia o post anterior:
Foto: Thiers Chagas.
Os monstros nossos de cada dia

Leitoras e Leitores, A gente para de procurar monstros embaixo da cama, quando descobrimos que eles estão dentro de nós....

Fechar