Por Verônica Lins

Semana 5:

A semana começou e como prometido fui SEM FONE!!! Nem doeu, juro (ahahahaha). E aí vou contar um fato marcante da minha vida. Vocês podem até não acreditar, mas é verdade. Minha mãe conta essa história com detalhes. Mas eu vou abreviar, viu? Quando eu completei 4 anos, exatamente no dia do meu aniversário eu joguei a minha chupeta no lixo e disse que não queria mais. E não quis mesmo. Passado um tempo, eu malina que era, ao remexer em uma das gavetas da minha mãe, encontrei chupetas novas. Ela, precavida, tinha comprado e guardado achando que eu poderia dançar um sapateado a qualquer momento, em casa. Conhecia a filha que tem (ou não), né? (rs). E sabe que eu fiz? Joguei no lixo de novo, convencendo todo mundo dentro de casa da minha decisão. Então, pensei: se eu fiz isso com 4 anos, porque não faria agora burra velha??? Sendo assim, desapartei do fone. ALELUIA!!!! Vamos à semana:

Terça, 09/04: Treininho bom. Foram 25´ no plano + 25’ de ladeira. Embora isso ainda não esteja aparecendo muito no pace, tenho sentindo uma melhora nas ladeiras. Me sinto mais confortável e conseguindo controlar melhor a respiração nas subidas. Tudo é treino, né? Às vezes as pessoas me falam que nunca conseguiriam correr na mesma intensidade que eu … aí digo: Consegue sim! Treina que vai. Claro que tem fatores que influenciam na performance e cada um tem seu próprio desempenho, mas o corpo responde aos estímulos, sim! Basta insistir. É isso que tenho feito. E outra coisa: você pode até ter alguém como referência, mas não deve se comparar. Então nada de pirar o cabeção porque o coleguinha de equipe corre “melhor” ou sobe ladeira mais rápido que vc, ok? Vá no seu tempo. Ahhhhh e já ia me esquecendo. Foi meu primeiro dia sem fone. Estranho eu falar isso, mas a música não me fez falta, de verdade. Continuarei firme na minha promessa de me manter longe desse “assessório motivador” (rs).

Quinta 11/04: Dia daquele velho encontro com o Fartlek. Só que dessa vez com surpresinha no final, os benditos tiros. Traduzindo: É o lambe o chão + sua alma perdida em algum lugar (como diz Guga Cruz rs). Ô gente, tiro não é Deus. Por que? Por que? Por que? (kkkkkkkk). Eu tô brincando, mas tiro é super importante para melhorar o condicionamento. É um mal necessário!!! E foi feito. Meio capenga no final, mas feito. Vou buscar melhorar nos próximos. E sobre o meu divórcio … Nesse tipo de treino eu já não usava o fone há algum tempo. Atrapalhava! No treino de tiro, quanto mais leve você estiver, melhor. E aí, como você só pensa em terminar a zouuuuhannnn, a música realmente não serve para nada rs. Vamos seguindo.

Abaixa que é tiro!

Abaixa que é tiro!

Sábado, 06/04: Mais um longão. O volume tá aumentando. Não treinei com o grupo no sábado. Precisei transferir para o domingo, pois tinha um compromisso profissional pela manhã cedo. Foram 25k sozinha e sem música. Agora eu digo. Me separei real dos fones de ouvido, ou seja, cumpri minha promessaaaaaa!!!

D665E4CD-E814-4969-926B-3F151C00E2D4

Foto: Da esquerda para a direita: Fernanda Albuquerque, Moema Kuehnitzsch, Verônica Linas e Ana Paula Macedo.

Sobre o treino: estabeleci uma velocidade média (dentro de uma zona de conforto) e fui. Consegui me manter até os 20k, mas depois disso senti falta das pernas e aí tive que diminuir o ritmo para terminar. Senti os dedos dos pés doerem tb. Tenho sérios problemas com isso e perco unhas com muita facilidade. Depois falo disso aqui. Mas e a hidratação? Como consegui dar conta disso? Aí vem a melhor parte do treino. Tive o apoio e o cuidado das amigas de equipe, que acordaram cedo para me acompanhar. Gente!!! Como é que se agradece isso??? Isso não tem preço. Saber que elas estavam por perto foi muito confortante, inclusive para eu não desistir. Além do cuidado com a água sempre gelada, as palavras de incentivo aqueceram meu coração. Meu infinito obrigada às minhas meninas (Torcida Blogueiragem) por doarem tempo e fazerem parte do meu treino. A isso dou o nome de PERTENCIMENTO.  <3

Cartão de visita-02

Pin It on Pinterest

Share This
Leia o post anterior:
Diário de uma aspirante a Ninja UpHill

Por Verônica Lins Diário de uma aspirante a Ninja UpHill Semana 4: Essa semana não existiu (rs). Após o treino...

Fechar