Por Bruna do Carmo,

Quando eu era criança, minha mãe sempre me perguntava que roupa eu queria usar. Eu escolhia a que achava mais bonita, confortável e ela me vestia. Nem eu, nem ela sabíamos, mas naquele momento ela estava me dando uma das primeiras lições de empoderamento: é você quem escolhe o que vai usar.

Os anos passaram e várias outras mulheres que surgiram na minha vida reforçaram essa mesma ideia. Já não era mais sobre a roupa. Era sobre escolher como usar meu cabelo, usar meu corpo, usar minhas palavras, usar minhas convicções, usar minha força de mulher.

Quando Thais me convidou para ser uma colaboradora do blog, a primeira coisa que pensei foi como mostrar as pessoas – em especial as mulheres – que eu não estava ali para demonstrar o meu empoderamento, mas sim, para que elas pudessem ver que são empoderadas. Percebi que a melhor forma é me despindo de todos os rótulos que me foram postos durante a vida. Por isso, quem escreve aqui não é só a futura publicitária, filha de Maria, amante dos romances policiais e apaixonada por cachorros. Quem escreve é a mulher preta, pobre, periférica que sabe que as pedras no caminho são enormes, mas por consequência sua fortaleza é ainda mais imponente.

Estou aqui para aprender, para ouvir e ensinar o que minha mãe me ensinou: é você quem escolhe o que vai usar. E há muito tempo não estamos falando só da roupa.

Bruna do Carmo - Nova colaboradora

 

Share This
Leia o post anterior:
Centenário - Zélia Gattai Amado
Centenário – Zélia Gattai Amado

Por Cindi Emanuele, "Para escrever memórias é preciso ter vivido". E foi isso que Zélia Gattai Amado fez: viveu suas...

Fechar